Loading...
img-02

Osteoporose

PREDISPOSIÇÃO GENÉTICA A OSTEOPOROSE E AS LESÕES ARTICULARES

A osteoporose é uma doença multifatorial que pode ser definida clinicamente através da medição da densidade mineral óssea (BMD). É altamente hereditária, com estimativas de 78% com relação à coluna lombar e de 84% quando se refere ao colo do fêmur. Trata-se de um problema em constante e contínuo aumento, que a Organização Mundial de Saúde tem identificado como prioridade a nível mundial: a incidência das fraturas osteoporóticas aumen-tou em um ponto percentual a cada 8 minutos em 2001 e estima-se que aumentará na mesa proporção a cada 3,7 minutos em 2021.
A osteoporose tem características que decorrem em parte de fatores de risco genético e em outra dependem da interação de variantes genéticas com fatores ambientais.

Estudos da associação relativos à genômica (genome-wide) foram facilitados pelo Projeto Genoma Humano e pelos recentes progressos das técnicas que utilizam genotipagem por microarray, a qual fornece um elevado grau de cobertura do genoma.

Entre os fatores que interagem com a genética, destaque-se o estilo de vida, tanto no que se refere à alimentação, quanto com a atividade física. No aspecto nutricional, salientamos a impor-tância de uma correta ingestão de Vitamina D e de Cálcio, associados à idade e sexo, podendo assim ajudar a prevenção da osteoporose e reduzindo o risco de fraturas.
Da mesma forma, deve ser sempre praticada uma atividade física: a falta de um esforço mecânico sobre a estrutura do esqueleto, assim como os longos períodos de repouso ou inatividade, faz com que aumente gradativamente a desminera-lização óssea.
Em relação à vitamina D, lembramos que é sintetizada princi-palmente na pele após a exposição solar. Desempenha um papel fundamental para a absorção renal do cálcio, na absorção intestinal do cálcio e fósforo e nos processos de mineralização dos ossos.

O cálcio é, por sua vez, o mineral mais importante do nosso organismo, essencial para uma boa saúde dos ossos e dentes, e também para o controle de várias atividades celulares e extracelulares, tais como a atividade enzimática, a transmissão dos impulsos nervosos e a coagulação sanguínea.